Biologia molecular no contexto clínico: passado, presente e futuro

Biologia molecular é o termo utilizado quando analisamos as moléculas que estão dentro de nossas células, como o DNA, o RNA, ou as proteínas. As técnicas de biologia molecular são muito utilizadas na pesquisa científica. Porém, a importância destas técnicas em laboratórios clínicos, no contexto de diagnóstico e acompanhamento de pacientes, é mais recente, especialmente considerando as análises de DNA.

Uma das aplicações da análise de DNA num contexto que não o de pesquisa, que ganhou bastante fama na nossa sociedade, é o teste de identificação humana. Este teste consiste em analisar o DNA de um indivíduo e comparar com alguma amostra de interesse, para saber se a amostra provém daquele indivíduo. Este teste é utilizado na genética forense, para investigação criminal, ou para identificação de corpos. O mesmo tipo de exame é feito no teste de paternidade, no qual o DNA de um suposto pai é comparado com o DNA do suposto filho, ou filha.

Além dessa aplicação, a análise de DNA vem ganhando importância em diversas áreas, como no câncer, nas doenças genéticas, nas doenças infecciosas e até na reprodução humana assistida. Assim, cada vez mais podemos encontrar laboratórios de análises clínicas que possuem um setor de biologia molecular, ou laboratórios especializados em exames que envolvem biologia molecular.

Este crescimento já era evidente nos últimos anos, especialmente com o advento das técnicas de sequenciamento de nova geração (NGS, do inglês next generation sequencing). Estas técnicas impulsionaram as possibilidades de análises genéticas, especialmente para pacientes de câncer e pacientes de doenças causadas por mutações gênicas. Apenas na região de Curitiba, vários laboratórios especializados em biologia molecular foram inaugurados nos últimos anos. Para pacientes de câncer, os testes moleculares podem significar o direcionamento mais adequado da terapia, aumentando as chances de recuperação. Para pacientes de doenças genéticas, muitas vezes o teste molecular é a única forma de confirmar o diagnóstico.

Além de câncer e doenças genéticas, outra área muito importante neste contexto são as doenças infecciosas. Muitos testes moleculares para detecção de patógenos, como vírus e bactérias, já vinham sendo utilizados. Com a chegada do novo coronavírus, SARS-CoV-2, e a pandemia de COVID-19, ficou evidente a importância da biologia molecular neste contexto, já que o teste padrão-ouro para a detecção deste vírus é um teste de biologia molecular.

Além dos testes para COVID-19, exames que detectem vírus causadores de infecções respiratórias com certeza ganharão importância num futuro próximo. Com exames de biologia molecular, é possível testar simultaneamente para a presença de muitos vírus e bactérias que causam infecções respiratórias. A detecção do agente nestas infecções é primordial para a correta conduta de tratamento e de isolamento do paciente. Outra vantagem dos testes moleculares é que eles muitas vezes apresentam uma resposta mais rápida em relação a outros métodos. Por exemplo, para identificação de bactérias, geralmente é feita a cultura da mesma, o que pode levar dias. Para testes moleculares, é possível se ter a detecção em horas, dependendo da técnica utilizada e do fluxo do laboratório.

Considerando a ampla aplicação dos testes moleculares no contexto clínico, a demanda por profissionais capacitados para atuar nesta área vem crescendo e tende a aumentar cada vez mais. Por isso, o UniBrasil oferece uma pós-graduação em Diagnóstico Laboratorial por Biologia Molecular. Nesta pós, os profissionais têm aulas teóricas e práticas sobre as diversas aplicações clínicas da biologia molecular, com professores que atuam na área!

Postado em BLOG, BLOG HOME DESTAQUE, BLOG PÁGINA DESTAQUE, PÓS GRADUAÇÃO e tagged , , , , , .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *