Novo coronavírus, SARS-CoV-2, COVID-19, 2019-nCoV: quem é quem afinal?

Quando novos vírus surgem, eles surgem sem um nome oficial. Isso pode até parecer óbvio, né? Não é que o vírus venha com uma etiqueta que mostra seu nome! Até porque, os nomes são convenções que nós humanos estabelecemos, para facilitar nossa comunicação. O problema disso é que, até se estabelecerem padrões, muitos nomes são usados, o que pode acabar confundindo as pessoas. Se este é seu caso, calma, vou te ajudar!

A primeira pergunta que ouvi em relação a isso foi: “Como assim novo coronavírus? Já existiram outros?”. E a resposta é sim, já existiram outros. Coronavírus é um nome dado a uma “família” de vírus. Este de agora é o sétimo coronavírus que se saiba causar infecções no ser humano. O atual é capaz de causar uma doença grave (com possível morte), como todos nós estamos vendo ao redor do mundo. Outros dois antes dele também eram: SARS-CoV e MERS-CoV, que causaram epidemias em 2002/2003 e 2012, respectivamente. Os outros coronavírus que infectam humanos, chamados HKU1, NL63, OC43 e 229E, estão relacionados apenas ao aparecimento de sintomas bem leves. Até por isso eles recebem estes nomes mais estranhos, pois apenas cientistas que estão estudando eles falam sobre eles, em artigos, ou bases de dados.

Vale lembrar que existem coronavírus que infectam outros animais, inclusive pets, mas que não conseguem entrar nas nossas células. Inclusive, a origem deste novo coronavírus é muito provavelmente a partir de uma mutação (alteração genética) em um coronavírus de algum animal silvestre.

Ok, mas falando deste novo coronavírus, qual é o nome certo? Inicialmente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) começou a utilizar o nome 2019-nCoV. Em 11 de fevereiro de 2020, a própria OMS deu um nome oficial à doença causada pelo novo vírusCOVID-19, que vem de coronavirus disease 2019 (traduzindo: doença do coronavírus 2019). Neste mesmo dia, um grupo internacional de estudos em coronavírus (Coronavirus Study Group – CSG), que faz parte de um comitê internacional para taxonomia de vírus (International Committee on Virus Taxonomy), postou um artigo sugerindo que o vírus chamado até então de 2019-nCoV recebesse o nome de SARS-CoV-2 (severe acute respiratory syndrome coronavirus 2, ou, traduzindo, coronavírus da síndrome respiratória aguda severa 2). Esta sugestão foi feita considerando os demais coronavírus que mencionei lá em cima, sendo que este novo era mais semelhante, na análise filogenética, ao SARS-CoV.

Alguns cientistas levantaram um problema neste nome, pois SARS é o nome de uma doença, a doença causada pelo SARS-CoV. Então, usar este nome, daria a impressão que este novo vírus também causa SARS. A doença causada pelo novo vírus de agora, como já comentado, chama-se COVID-19. As duas doenças apresentam diferenças clínicas e epidemiológicas.

Porém, o já mencionado comitê internacional avaliou as críticas e preferiu manter o nome. Foi argumentado que existem padrões estabelecidos para dar nomes a vírus e este novo vírus é muito parecido com o vírus chamado de SARS-CoV, sendo um grupo-irmão, não uma nova espécie. Existem, inclusive, outros coronavírus que fazem parte desta espécie, como é o caso do SARSr-CoV-btKY72, que infecta morcegos. Então, foi argumentado que o nome SARS-CoV-2 não faz referência à doença SARS, mas sim ao vírus SARS-CoV, seguindo as normas de nomenclatura.

Levantam ainda a questão que esta relação de nome de vírus e nome de doença que o vírus causa é complexa, pois quem dá nome ao vírus é este comitê internacional, mas quem dá nome às doenças é a OMS. Portanto, os nomes nem sempre estão relacionados. É o caso, por exemplo, de um vírus que conhecemos muito bem, chamado HIV (human immunodeficiency virus, ou traduzindo, vírus da imunodeficiência humana), que causa a doença AIDS (acquired immunodeficiency syndrome, ou, traduzindo, síndrome da imunodeficiência adquirida). Então, o comitê estabeleceu que o nome oficial deste vírus de agora é mesmo SARS-CoV-2.

É isso! Espero que este texto tenha sido útil para você!

 

REFERÊNCIAS:

ANDERSEN, Kristian G. et al. The proximal origin of SARS-CoV-2. Nature Medicine, p. 1-3, 2020. Disponível em: https://www.nature.com/articles/S41591-020-0820-9

DE WIT, Emmie et al. SARS and MERS: recent insights into emerging coronaviruses. Nature Reviews Microbiology, v. 14, n. 8, p. 523, 2016. Disponível em: https://www.nature.com/articles/nrmicro.2016.81

JIANG, Shibo et al. A distinct name is needed for the new coronavirus. The Lancet, 2020. Disponível em: https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(20)30419-0/fulltext

WU, Yuntao et al. SARS-CoV-2 is an appropriate name for the new coronavirus. The Lancet, 2020. Disponível em: https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(20)30557-2/fulltext

Postado em BLOG, PÓS GRADUAÇÃO e tagged , , , , , , .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *