“O ensino-aprendizagem ganha outro sentido quando o aluno é o protagonista do processo”, diz professora do Projeto Integrador UniBrasil

Foto na escola Estadual Paulo Leminski, no bairro Tarumã, Curitiba-PR

Igualdade de Gênero, Redes Sociais e Saúde Mental, e Fake News na Era da Pós-verdade são temáticas presentes no Projeto Integrador do UniBrasil, que dialogam com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU).

A partir destes saberes, os acadêmicos desenvolveram ações com a comunidade interna e externa, como: palestras em escolas, aplicação de formulários de pesquisa, bate papo com os consumidores de mercados da região, dentre tantas outras atividades desenvolvidas durante o semestre letivo.   

Segundo a professora Andréa Carneiro Lobo, responsável pelo Projeto Integrador I, do 5º período do curso de Direito, esse trabalho tem um potencial transformador na vida acadêmica dos futuros advogados. “O projeto integrador é maravilhoso. Os alunos colocam o Direito em prática e vão a campo atender às demandas da comunidade”, explica a doutora em História, do UniBrasil. Ela acrescenta ainda que “o ensino-aprendizagem ganha outro sentido quando o aluno é o protagonista do processo”, enfatiza.

Professora Andréa Carneiro Lobo, responsável pelo Projeto Integrador I, do 5º período do curso de Direito, do UniBrasil.

         Acadêmicos de Direito realizam pesquisa de campo no Colégio Estadual Paulo Leminski

Equipe do curso de Direito do UniBrasil do 5º período do Projeto Integrador.

“O Universo digital é terra sem lei?”. Esta é uma das perguntas que norteiam a pesquisa de duas equipes do Projeto Integrador, do curso de Direito, do UniBrasil.
Por meio de um formulário físico, as acadêmicas Andressa Rodrigues, Amanda Aparecida, Catherine Zacarkin, Poliana Dutra e Julianna Molina conversaram, na manhã de quarta-feira (25), com os estudantes do 1º ano do ensino médio, do colégio Estadual Paulo Leminski, no bairro Tarumã.

As sete turmas contempladas pela pesquisa responderam questões sobre cyberbullying, redes sociais, autoimagem no mundo digital, vidas “perfeitas” nas mídias digitais etc. A proposta tem por objetivo coletar dados sobre o envolvimento dos adolescentes nas principais redes de relacionamento, como Facebook, Instagram, Twitter e Tinder.  

Esse projeto é importante para a acadêmica Catherine Zacarkin, porque a temática se faz muito presente na vida dos jovens, das famílias e da escola. “Rede Social não é terra sem lei. Você não pode estar caluniando as pessoas nas redes sociais. Inclusive, a equipe vai mostrar as ações do Direito Penal e suas consequências às turmas do colégio, que estão com constantes casos de cyberbullying na instituição”, explica Zacarkin. 

Na próxima quarta-feira (01), a equipe retorna ao colégio para apresentar os resultados do formulário por meio de gráficos e interpretação dos dados.

Aluna do 1º ano do Ensino Médio, do colégio Estadual Paulo Leminski, respondendo formulário.

 

         Equipe desenvolve formulário em formato QR Code para aplicar aos acadêmicos do UniBrasil

Formulário por meio de QR Code desenvolvido pelos acadêmicos de Direito.

Na manhã de quarta-feira (25), os acadêmicos de Direito, Fernando Eugênio Follador Cardoso, Gabrielle Zacarkin Lima da Silva, Greice Batista, Loahra Huk Kierski, Waghner Deganutti Larangeira, aplicaram um formulário também sobre “Redes Sociais e Saúde Mental”, em formato QR Code aos estudantes, no campus UniBrasil. Eles percorreram as instalações da instituição para que os alunos pudessem se envolver com a pesquisa.  

Os interessados em contribuir com a pesquisa, podem acessar o link: https://forms.gle/tr7r1N8uEotadtsDA 

 

 

 

Postado em DIREITO, ESCOLA DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS, ESCOLA DE EDUCAÇÃO E HUMANIDADES, GRADUAÇÃO, NOTÍCIAS, NOTÍCIAS EM DESTAQUE, UniBrasil.

UniBrasil Centro Universitário

Ver post porUniBrasil Centro Universitário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *