Pesquisa de egresso de Psicologia mostra a importância da atividade física para redução de ansiedade

Período de provas é normalmente estressante. Ligado ao fator de isolamento social, o estresse e a ansiedade aumentam ainda mais. Mas o que fazer para relaxar e manter a saúde psicológica em ocasiões como essas, em que não temos escolha e precisamos enfrentar?

A atividade física pode ser uma resposta. No ano passado, o aluno do curso de Psicologia, Rodinei dos Santos, hoje egresso da instituição, desenvolveu em seu Trabalho de Conclusão de Curso uma pesquisa buscando identificar o impacto da atividade física sobre a ansiedade. Orientado pela professora Thaís Malucelli Amatneeks, ele pôde comprovar que as pessoas que praticavam exercícios físicos regularmente são menos propícias a desenvolver problemas relacionados a distúrbios de ansiedade.

De acordo com a pesquisa, as pessoas que praticam alguma atividade seguindo o tempo recomendado pela Organização Mundial da Saúde, uma média de 150 min semanais de atividade intensa ou moderada, apresentaram os índices mais baixos de ocorrência da ansiedade. O grupo apresentou 4,8% contra 25,5% de sinais de ansiedade entre os não praticantes.

O enfrentamento dos sintomas de ansiedade varia de acordo com cada indivíduo e pode acontecer de três formas. A fuga, quando a pessoa muda o foco, resolve escutar uma música ou fazer algo para distrair a mente. O enfrentamento, utilizando técnicas de respiração e de relaxamento. E o colapso, que é a passividade, quando o indivíduo não faz nada para mudar a situação. Segundo a pesquisa, este último foi relatado por 10,9% dos não praticantes de atividades físicas e não foi assinalada por nenhum praticante, mostrando que a prática de exercícios físicos pode reduzir os níveis de ansiedade severa e influenciar positivamente no enfrentamento dos sintomas de ansiedade.

Portanto, é comum que acadêmicos e todas as pessoas que estão vivendo em isolamento social, devido a situação da pandemia do Coronavírus, apresentem índices elevados de ansiedade. Por isso, a atividade física, mesmo que em casa e seguindo diversas orientações disponíveis em sites, vídeos e lives, pode ser uma grande aliada para enfrentar esse o momento.

 

 

Postado em GRADUAÇÃO, NOTÍCIAS, NOTÍCIAS EM DESTAQUE, UniBrasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *